A new start…

Talvez eu não seja boa nesse negócio de falar o que eu sinto, quem sabe escrevendo  se torne mais fácil. Resolvi que preciso por pra fora algumas coisas e preciso desse espaço pra chamar de meu. Nao tenho pretenção alguma em relação a isso, na maioria das vezes sinto como se estivesse falando com as parades ou comigo mesma. E no fundo estou mesmo. Ontem ao retornar para casa, fui surpreendida por um sentimento de cansaço extremo, quase desistência disso tudo que está ao me redor. Jogar a toalha seria uma saída. Uma parte de mim gostaria simplesmente de dormir e acordar como se tudo que eu vivo ou já vivi fosse um simples pesadelo e em um click eu estaria de volta a uma vida bela que sempre esperei. Nem sempre é como a gente quer. É cruel, machuca, deixa cicatrizes, tanto externas como internas..essas últimas nunca saram por completo. Não consigo não transparecer que estou mal, claro que uma veia artística dentro de mim me protege as vezes. Por fora estou bem, por dentro estou morrendo, dia após dia, pouco a pouco. Não, não é depressão, óbvio que eu tendo a pensar por um lado um tanto quanto negativo algumas vezes, não sei porque, acho que faz parte de mim sentir dessa forma. Aliás, sentir é algo que sempre foi exagerado para mim. Ou eu sinto com todas as minhas forças ou de fato é total sem importância. Eu queria me entender um pouco mais, queria entender o por que de algumas atitudes. Não é possível acertar sempre, mas quando errar se torna constante você se questiona se é sempre culpa sua, se você procurou por isso ou se simplesmente as coisas acontecem pois é assim que tem que ser. Nunca me dei bem nisso de amor, de me envolver. Sempre muito travada com algumas coisas. Quando alguém mexe comigo eu recuo, ou talvez ajo inconscientemente afastando essa pessoa de mim. Proteção? Auto-sabotagem? Extremos opostos. Se eu quero me proteger por que gosto tanto de me machucar? Acho que crio forças a partir dai. Parece que sofrer faz com que eu me sinta viva, com que eu sinta meu coração batendo por algum motivo. Vazio interno, todos temos. Como preencher sempre foi a questão.Pra onde ir é algo que tbm me assombra. Eu sei que estou aqui, que tenho uma missão, mas qual? Constante conflito interno. Ego X Alterego. Bruna X Blika. Estranho? Pois é. Pode parecer loucura da minha parte, mas estou acustumada a ouvir todo santo dia alguém falar que eu não regulo bem. Acho que vai do ponto de vista. Pra mim, todos vocês são insanos. Cada um com a sua loucura. Talvez mostrar um pouco da Bruna não seja má idéia. Só estarei um pouco mais vulnerável a ataques. Mas nao fujo a luta. Aprendi a gostar de encarar as coisas de frente e assim que deve ser. Afinal de contas, se doer pode soar prazeroso, por que não? Quem sabe amanhã eu escreva algo produtivo sobre o meu dia. Quem sabe escreva apenas como eu estou me sentindo pra tirar esse acumulo. Não é uma fuga. Quem sabe uma forma de eu entender melhor o que se passa nessa cabeça oca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: