Archive for novembro, 2010

Dormir pode ser uma fuga um tanto quanto assustadora. Pegar no sono me amedontra em alguns momentos. Tenho medo de não acordar, apesar de isso ser o que eu espero às vezes, mas vai de confronto com uma sede de viver que mora dentro de mim. Já disse que busco forças do que me faz mal… me da vontade de ir em frente e conquistar tudo que desejo, pra provar para mim mesma e talvez para os outros que eu posso, que eu sei que eu posso e que eu CONSIGO. Será que o leão cravou suas garras no peixe? Pode ser que sim, mas como diria um amigo meu, sinto muito mas nao sinto nada. A única coisa que possívelmente desperta em mim é o sentimento de pena. Eu deito minha cabeça no travesseiro com a consciência limpa e você? Nao vou dizer que sou politcamente correta, longe disso. Tenho muitas mágoas por atitudes bobas, impessáveis, e muitos arrependimentos também. Mas diferente do que se vê, eu procuro tirar uma lição e aprender com os meus erros. Eu sou teimosa, pode ser que uma vez não seja o suficiente, mas tomar porrada da vida machuca e uma hora ou outra sou obrigada a aprender. Por mais difícil que seja. Quando você está prontificado a perdoar uma pessoa, perdoe. Não use essas palavras em vão. Poucos tem o dom de verdadeiramente perdoar. Pode ser que se lembre, que não se conforme, mas é PASSADO, tudo foi esclarecido e deve-se conformar e estar mais atento. Confiança é uma coisa que quando perdida é raro de se obter novamente. Mas eu me esforço. Por que todo esse teatro se no fim das contas você queria apenas suprir seu desejo de vingança? Já fui uma pessoa vingativa. Hoje prefiro não me perder nesses pensamentos maliciosos e apenas me focar no que vejo que é bom pra mim. Aqui se faz, aqui se paga. Você colhe o que planta, então por que me importar em dar uma lição para alguém? Eu não sou a rainha do mundo, muito menos tenho o poder de julgar o que é certo e errado para os outros…Crueldade existe dentro de cada um de nós. Mas sinceramente? Acordo querendo o bem, talvez algum rancor aqui ou ali, mas como já disse, deixo isso como encargo do destino. O que tiver que ser, de fato será. Uma lavagem cerebral talvez seja feita, nao em mim, cabe a você ter dissernimento e filtrar as coisas de acordo com o que foi visto e com os seus princípios. Já disse que a vida as vezes é previsível demais, vamos ver quando tempo dura isso tudo. Por fim desejo sorte. Somos adultos. Sabemos o peso das nossas escolha. Espero apenas que não se arrependa, pois caso aconteça, pode não ser o suficiente.

Aliás, egocentrismo é algo que não falta aqui, viu? Quase sempre abro mão do que gosto para o bem estar de todos. Mas isso não quer dizer que eu não pense em mim. Penso sim, acho que até demais. Mas o fato de eu me contentar em ver sorrisos espalhado ao invés de apenas o meu, pode deixar de lado meus desejos mais pessoas. Um dia eu aprendo melhor a lidar com isso. Tenho tempo de sobra. Um passo de cada vez.

Anúncios

A new start…

Talvez eu não seja boa nesse negócio de falar o que eu sinto, quem sabe escrevendo  se torne mais fácil. Resolvi que preciso por pra fora algumas coisas e preciso desse espaço pra chamar de meu. Nao tenho pretenção alguma em relação a isso, na maioria das vezes sinto como se estivesse falando com as parades ou comigo mesma. E no fundo estou mesmo. Ontem ao retornar para casa, fui surpreendida por um sentimento de cansaço extremo, quase desistência disso tudo que está ao me redor. Jogar a toalha seria uma saída. Uma parte de mim gostaria simplesmente de dormir e acordar como se tudo que eu vivo ou já vivi fosse um simples pesadelo e em um click eu estaria de volta a uma vida bela que sempre esperei. Nem sempre é como a gente quer. É cruel, machuca, deixa cicatrizes, tanto externas como internas..essas últimas nunca saram por completo. Não consigo não transparecer que estou mal, claro que uma veia artística dentro de mim me protege as vezes. Por fora estou bem, por dentro estou morrendo, dia após dia, pouco a pouco. Não, não é depressão, óbvio que eu tendo a pensar por um lado um tanto quanto negativo algumas vezes, não sei porque, acho que faz parte de mim sentir dessa forma. Aliás, sentir é algo que sempre foi exagerado para mim. Ou eu sinto com todas as minhas forças ou de fato é total sem importância. Eu queria me entender um pouco mais, queria entender o por que de algumas atitudes. Não é possível acertar sempre, mas quando errar se torna constante você se questiona se é sempre culpa sua, se você procurou por isso ou se simplesmente as coisas acontecem pois é assim que tem que ser. Nunca me dei bem nisso de amor, de me envolver. Sempre muito travada com algumas coisas. Quando alguém mexe comigo eu recuo, ou talvez ajo inconscientemente afastando essa pessoa de mim. Proteção? Auto-sabotagem? Extremos opostos. Se eu quero me proteger por que gosto tanto de me machucar? Acho que crio forças a partir dai. Parece que sofrer faz com que eu me sinta viva, com que eu sinta meu coração batendo por algum motivo. Vazio interno, todos temos. Como preencher sempre foi a questão.Pra onde ir é algo que tbm me assombra. Eu sei que estou aqui, que tenho uma missão, mas qual? Constante conflito interno. Ego X Alterego. Bruna X Blika. Estranho? Pois é. Pode parecer loucura da minha parte, mas estou acustumada a ouvir todo santo dia alguém falar que eu não regulo bem. Acho que vai do ponto de vista. Pra mim, todos vocês são insanos. Cada um com a sua loucura. Talvez mostrar um pouco da Bruna não seja má idéia. Só estarei um pouco mais vulnerável a ataques. Mas nao fujo a luta. Aprendi a gostar de encarar as coisas de frente e assim que deve ser. Afinal de contas, se doer pode soar prazeroso, por que não? Quem sabe amanhã eu escreva algo produtivo sobre o meu dia. Quem sabe escreva apenas como eu estou me sentindo pra tirar esse acumulo. Não é uma fuga. Quem sabe uma forma de eu entender melhor o que se passa nessa cabeça oca.