Archive for julho, 2010

Bla Bla Bla

Superficialidade. Falsidade generalizada. Estou farta disso!

E agora quem eu devo ser? Como me portar pra agradar? Como fazer o mundo girar em torno de mim pra alimentar meu egocentrismo?

Fingir que está tudo bem é fácil até chegar ao ponto em que você baixa a guarda, se entrega, explode e deixa aberto ao mundo as suas fraquezas. Não está bem, se é que um dia já esteve. Felicidade não é constante, é apenas momentânia.

Pra que tantas máscaras?

Mais um dia. Planos, metas.. tudo tão longe de ser alcançado mais ao mesmo tempo muito perto. E eu aqui, paralizada, como uma estátua em um museu, observada e observando o olhar crítico de quem me rodeia, analisando e apontando todos os defeitos, afinal, um dos maiores dons do ser humano é atingir o ponto fraco pra fazer seu oponente jogar a toalha. A questão é que alguns sabem como fazer, outros não. Eu sempre tento, vou tentar, nunca faço, nunca me movo, nunca saio do lugar. Espero vir a mim. Realmente, sou uma estátua.

Marionetes. Manipulados. Como me portar pra agradar? Superar expectativas?

E a pressão que me tira do sério e me faz perder o foco.

Ciclo vicioso. Quando parece que estou me levantando, recebo uma facada nas costas. Seria um acaso ou eu procuro isso inconscientemente? Gosto eu de sofrer? Masoquismo?

Caminho, corro, em busca de um “não sei o que”, o tempo passa e eu não saio do lugar.

Ás vezes penso em desistir, mas são nessas horas que eu tiro o algodão que tampona meus ouvidos e ouço gritos que vem de dentro de mim mandando eu continuar.

Sigo, caminhando, com o fardo de arrastar correntes pesadas presas aos meus pulsos, tentando dar um passo de cada vez.

Qro ser livre, quero alguém pra me prender. Quero alguém pra me por limites pois sozinha não consigo. Sou forte, sou fraca. O que sou? O que eu quero?

Tento achar resposta, mas me vejo perdida em um tabuleiro de jogo quase sempre.

E o que fazer agora? Não me deixar abater, continuar andando.

Anúncios